Bócio: o que deve saber

O Bócio surge quando a glândula da tireoide aumenta de tamanho, formando uma espécie de nódulo ou caroço na região do pescoço, que se torna mais arredondado e mais largo do que o normal. O bócio geralmente consegue ser facilmente observado sem grande dificuldade, pode ser simétrico, assimétrico, composto por um nódulo ou por um conjunto deles, sendo nestes casos conhecido como bócio nodular ou multinodular.

O bócio pode ter diversas causas, mas é comum surgir quando surgem distúrbios no funcionamento da tireoide, como o hipertireoidismo ou hipotireoidismo.

Assim, o bócio é definido como “qualquer aumento do volume tireoidiano”, podendo ser classificado da seguinte forma:

  • Difuso ou nodular;
  • Atóxico (simples – função tireoidiana normal) ou tóxico (hipertireoidismo);
  • Benigno ou Maligno;
  • Endêmico (quando afeta mais de 5% da população) ou esporádico.

A deficiência de iodo na dieta é a principal causa do bócio endêmico, que ocorre nas áreas iodoprivas. Estima-se que cerca de 200 milhões de pessoas em todo o mundo têm a tireoide aumentada por essa causa. A prevalência de bócio excede 30% nas áreas com ingestão muito baixa de iodo (menor do que 30 /dia).

O bócio ocorre em cerca de 5% da população com iodo suficiente e é quatro vezes mais comum em mulheres. No entanto, a prevalência varia de acordo com a área de residência e geralmente diminui com a idade. Mais de 60% dos casos de bócio em adolescentes regridem durante os 20 anos subsequentes. As características do bócio também mudam com o decorrer do tempo, passando de difuso (às vezes denominado simples) para um bócio multinodular.

Bócio - O que é e quais os Sintomas

Principais causas

Bócio Endêmico

  • Deficiência de iodo
  • Substâncias bociogénicas (exemplo: repolho, couve, nabo, mandioca)

Bócio Esporádico

  • Bócio atóxico (simples): difuso e multinodular
  • Bócio tóxico (uni e multinodular)
  • Tireoidite de Hashimoto
  • Doenças de Graves
  • Tireoidites destrutivas: tireoidite pós-parto, tireoidite silenciosa, tireoidite granulomatosa, amiodarona;
  • Substâncias bociogênicas incluindo drogas com ação anti tireoidiana;
  • Doenças genéticas: dis-hormonogênese, síndrome de resistência ao hormônio tireoidiano, síndrome de McCune-Albright, mutação no receptor do THS.
  • Infiltração: tireoide de Riedel, amiloidose, sarcoidose;
  • Secundário: tumor hipofisário secretor de TSH, estimulação excessiva por gonadotrofina coriónica humana na gravidez ou coriocarcinoma;
  • Neoplasias: linfoma, carcinoma papilar infiltrativo, medular e anaplásico

Principais Sintomas

Os principais sintomas que indicam o surgimento do bócio incluem:

  • Dificuldade para engolir;
  • Surgimento de um nódulo ou caroço no pescoço;
  • Aparecimento de tosse;
  • Desconforto na região do pescoço;
  • Sensação de falta de ar;
  • Rouquidão.

Podem também surgir sintomas como cansaço fácil, depressão, dores musculares ou nas articulações que podem indicar a presença de hipotireoidismo.

Como diagnosticar

O diagnóstico do bócio pode ser feito através de um conjunto de exames, que determinam se o bócio é maligno ou não, se e ou não cancerígeno.

Primeiramente, o médico começa por observar a presença de um caroço no pescoço, pedindo geralmente em seguida a realização de uma ecografia cervical que irá permitir uma melhor visualização da glândula da tireoide. Além disso, o diagnóstico é também complementado com a realização de exames de sangue específicos que avaliam a quantidade de hormônios tireoidianos no sangue, como T4, T3 e TSH, o que permite identificar se existem distúrbios no funcionamento da tireoide.

Nos casos onde o médico suspeitar de cancro na tireoide, recomenda a realização de uma punção ou biópsia da tireoide, na qual é retirado um pequeno pedaço desta glândula. Este exame não dói e não deixa cicatriz e o pequeno pedaço recolhido é depois analisado em laboratório.

Tratamento 

Quando o bócio é causado por deficiências em iodo, o seu tratamento é feito através da administração de iodo em doses 10 vezes maiores que a dose diária recomendada durante algumas semanas. Com este tratamento, a glândula da tireoide consegue capturar sem esforço o iodeto que necessita para a síntese de hormônios, o que após algumas semanas pode fazer com que ela volte ao seu tamanho normal. Porém, em casos mais graves poderá ser necessário manter o tratamento por toda a vida.

Nos casos em que existem distúrbios no funcionamento da tireoide como hipertireoidismo ou hipotireoidismo o tratamento não é linear, podendo ser feito usando fármacos antitireoidiano ou capsulas de iodo radioativo. Nos casos de cancro da tireoide, pode ser necessária a remoção desta glândula através de cirurgia.

Como prevenir o surgimento do Bócio

O surgimento do bócio que tem origem em deficiências em iodo, pode ser prevenido através do consumo de alimentos ricos neste mineral, como:

  • Cavala, Mexilhão, Pescada;
  • Sal iodado, Salmão, Camarão;
  • Atum, Rim, Leite;
  • Ovos

Na sua maioria, os alimentos ricos em iodo têm origem marinha, sendo por isso os peixes e frutos do mar as opções mais ricas em iodo que devem ser consumidos regularmente para prevenir doenças relacionadas com a carência de iodo, como o bócio.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s